terça-feira, 31 de maio de 2011

A passagem

Segurava de forma terna a mão da velha senhora. A pobre agonizava lentamente havia dias. Não comia e não falava.
Antes a robusta senhora tinha uma vida feliz, ou melhor dizendo, tinha uma vida. Andava de um lado para o outro e tinha uma especialidade: fazer bolos de fubá. Os preferidos.
Contava causos e histórias do tempo antigo, da carochinha, de quando era criança e o pai não queria que estudasse, das galinhas que tinha que matar para a janta e principalmente dos bailes em que ia fugida de casa, da fazenda em que morava.
- era apaixonada por um japonês - costumava dizer.
foi então que foi envelhecendo aos poucos. lentamente. o tempo foi lhe dando uma cara nova, com uma cor de cabelo que parecia as nuvens do céu e um olhar que se distanciava cada vez mais do que estava acontecendo na terra.
ia aos poucos embora. já não sabia mais onde estava e se estava em algum lugar.
foi então que o homem segurou sua mão no hospital. rezou junto a velha senhora e disse que ela podia ir. que fosse em paz.
a senhora então, num relance abriu os olhos e olhou fixamente para a porta. o homem ao seu lado se moveu e ela virou para ele e sorriu. não disse nada. apenas sorriu.
e foi embora.

Um comentário:

Marie Flufflin disse...

Arrepiei,muito delicado e bonito