sábado, 17 de outubro de 2009

o dia

Ontem estive refletindo sobre algumas coisas dessa vida. Acho que refleti demais. rs. Porque cheguei em casa extremamente cansada, e nem eram 10 da noite ainda. eram 8 e pouco. e eu parecia já estar no 10° sono.... enfim. fui ao médico no final da tarde de ontem. depois de um dia extremamente estressante no trabalho. e foi mesmo. deu pau no computador, furou pauta, matéria, entrevistado, levei bronca (quis da bronca), tive vontade de chorar no começo da manhã e uma crise de riso no final do dia conversando conversando com o serginho. à noite, boas supresas com duas ligações deliciosas. rs bom, mas não era disso que eu ia falar. fui ao médico e no caminho estive refletindo sobre algumas coisas da vida, como por exemplo, que valor estamos dando a nós mesmos. eu estou sem tempo às vezes de dormir e de comer, que dirá de fazer exercício. no away. - oi, quer jantar ou quer dormir? - dormir. como ando preferindo isso? não tenho idade e parece que envelheci não sei quantos anos. ando cansada mesmo e muitas vezes é de mim mesma. ah, mas não era isso que eu queria falar. sim, o médico. estacionei o carro e fui atravessar a rua. passaram não menos que 30 carros. não tem sinaleiro nessa rua. 30 carros. eu fiquei na faixa de pedestres, antes de atravessar, no mínimo 20 minutos. ninguém parou. na faixa estava escrito: pare. ninguém parou. ninguém. eu ficava olhando diretamente para os motoristas, pedindo uma brechinha pra passar. ninguém parou. só consegui atravessar qdo o movimento diminuiu. 30 minutos depois. 30 minutos. meia hora da minha vida pedindo pra alguém deixar eu passar. daí eu me liguei que isso está assim em tudo agora. eu só queria passar. tentei passar no teste há duas semanas. eu não passei. queria passar um tempo descansando esses dias. eu não passei. queria passar uma hora fazendo exercício físico. eu não passei. queria ter passado na usp na época do vestibular. eu não passei. queria ter passado pela faixa de pedestres antes de meia hora. eu não passei. queria ter passado no teste do carro na primeira vez. eu não passei. queria ter passado mais tempo ouvindo a chuva que caiu ontem, vendo o sol se por e olhando o céu que ficou azul e rosa no final do dia. eu não passei. passei um tempão pensando que eu era uma incompetente por uma fala do meu chefe esses dias. passei um tempão pensando que eu era uma péssima professora porque um dos alunos na aula de quinta olhou com tédio para a aula que eu estava dando. passei um tempão pensando que eu era uma filha horrível porque já senti muita raiva do meu pai e da minha mãe. passei um tempão confiando em pessoas erradas e contando segredos meus, que são meus. hoje fiquei na redação sem fazer nada. ajeitei um trabalho ou outro. bom dia. dia. foi a resposta. ontem eu vi a novela das 8. sabe que existe um mundo paralelo nas tramas do manuel carlos? não é possível. é tudo tão lindo, tão perfeito, tão comercial de margarina. tão ricos. as modelos foram pra europa. eu nunca fui nem pro paraguai. olhei a cena me imaginando no avião. será que um dia conheço Paris? é um mundo paralelo mesmo. pelo menos pra mim e pelo menos agora. nem pra BH no FIQ eu consegui ir. e isso me consome. como eu queria ter ido. tenho tido dores de estômago constantes. mais vezes e cada vez mais fortes. "O direito de resposta é uma coisa fundamental. Sagrada. Senão a gente fica até imaginando que o outro lado pode ter razão" millor fernandes é mesmo. eu preciso aprender a falar. do que vem de dentro no caso.

Um comentário:

Dan disse...

Nossa! Você deveria escrever um livro...quase chorei e rí e fiquei com raiva ao mesmo tempo lendo o que você escreveu!

Posso não ser das melhores pessoas pra se pedir conselhos, mas ei ouvir muito bem, principalmente quem eu gosto tanto e se precisar, nem que seja pra falar "Dai, tô com vontade de virar a Helena da novela" (eu sei que você não vai fazer isso, masss...
Eu te ouço!

E você e uma das melhores professoras que eu já tive e, cá entre nós, você tem a mesma idade que eu oO